Para desenvolver um país é necessário desenvolver pessoas, assim se faz necessário estimular os jovens a se tornarem profissionais da ciência e da tecnologia, para avançarmos no conhecimento existente. Desta forma, desde os primeiros anos da educação formal é necessários que os (as) estudantes  entrem em contato com a cultura científica, de forma a permitir que sejam criativos e inovadores (CNPQ, 2015).

A Iniciação Científica é o primeiro passo na carreira de um cientista, de um professor ou de um pesquisador.  Na Universidade de Brasília a participação dos alunos na Iniciação Científica ocorre por meio do ProIC – Programa de Iniciação Científica da UnB, o qual é vinculado ao Decanato de Pesquisa e Pós-graduação (DPP) voltado para o fomento à pesquisa e qualificação de excelência  dos alunos de graduação.

Para saber como participar do ProIC, bem como obter mais informações acerca dos objetivos do programa, compromissos do aluno e orientador, bolsas e quando se candidatar acesse:

http://www.unb.br/administracao/decanatos/dpp/dific/Arquivos/Folder_ProIC.pdf

São objetivos específicos da iniciação científica, segundo o CNPQ (2015):

•    despertar vocação científica e incentivar novos talentos entre estudantes de graduação;
•    contribuir para reduzir o tempo médio de titulação de mestres e doutores;
•    contribuir para a formação científica de recursos humanos que se dedicarão a qualquer atividade profissional;
•    estimular uma maior articulação entre a graduação e pós-graduação;
•    contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa;
•    contribuir para reduzir o tempo médio de permanência dos alunos na pós-graduação;
•    estimular pesquisadores produtivos a envolverem alunos de graduação nas atividades científica, tecnológica e artístico-cultural;
•    proporcionar ao aluno, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa; e;
•    ampliar o acesso e a integração do estudante à cultura científica.

Na UnB temos uma diretoria responsável por formular e gerir (executar, coordenar e avaliar) a política e o programa de iniciação científica. Para fazer parte de um programa de iniciação científica o estudante deve se submeter a um edital publicado por esta diretoria, bem como ter um professor da UnB como orientador.
Para acompanhar os editais e obter mais informações acesse:
http://www.unb.br/administracao/decanatos/dpp/dific.html

i.    Programa Jovens Talentos para a Ciência

O programa de incentivo à iniciação científica, Jovens Talentos para a Ciência, é destinado a estudantes de graduação de todas as áreas do conhecimento e tem o objetivo de inserir precocemente os estudantes no meio científico. Os estudantes recém-ingressos em universidades federais e institutos federais de educação são inscritos pela instituição de ensino superior. Os alunos são selecionados por universidade, mediante prova de conhecimentos gerais (CAPES, 2015).
Para participar do Programa Jovens Talentos para a Ciência o aluno deve cumprir os requisitos constantes no edital publicado pela Capes, disponível no site:
http://www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/jovens-talentos-para-a-ciencia

ii.    Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica-PIBIC-CNPq
PIBIC -  Visa apoiar a política de Iniciação Científica desenvolvida nas Instituições de Ensino e/ou Pesquisa, por meio da concessão de bolsas de Iniciação Científica (IC) a estudantes de graduação integrados na pesquisa científica. A cota de bolsas de (IC) é concedida diretamente às instituições, estas são responsáveis pela seleção dos projetos dos pesquisadores orientadores interessados em participar do Programa. Os estudantes tornam-se bolsistas a partir da indicação dos orientadores (CNPQ, 2015).
PIBIC-Af - O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica nas Ações Afirmativas é dirigido somente às instituições públicas e aos estudantes que ingressaram no Ensino Superior por ação afirmativa.
PIBITI - O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Científica atende a instituições públicas e privadas, no entanto, é dirigido somente às áreas tecnológicas e de inovação.
Para saber mais acesse:
http://www.cnpq.br/web/guest/pibic

iii.    Programa Especial de Treinamento (PET)-CAPES
As bolsas de Iniciação Científica da CAPES estão inseridas no Programa Especial de Treinamento (PET). Esse programa é institucional, ligado à Pró-Reitoria de Graduação. Os grupos PET podem ser implantados em qualquer área do conhecimento, por iniciativa dos colegiados de curso ou por iniciativa de um ou mais departamentos envolvidos e devem contar com um tutor que deverá ser um pesquisador qualificado.

iv.    Iniciação Científica sem bolsa
Há, ainda, as pesquisas que são desenvolvidas sem bolsa, nas quais o aluno atua como voluntário. Com o objetivo de valorizar essas pesquisas é possível ao aluno a obtenção de uma declaração da diretoria de iniciação científica da UnB, o que consequente, possibilita o reconhecimento oficial das atividades realizadas durante o projeto de iniciação científica.